Líder em Destaque | Thiago Salgado

A vida me ensinou…

 

O CEO da Sanavita diz que o verdadeiro líder sabe que não faz nada sozinho, e que sempre quis ter uma equipe com pessoas melhores que ele.“Uma equipe forte é uma equipe com pessoas de perfil e competênciasdiferentes. A diversidade é essencial para boas decisões.”

 

Thiago Salgado começou sua carreira na Sanavita em 1993, quase como um estagiário – ajudando sua tia e sua mãe (que fundou a empresa em 1984). “A empresa era muito pequena e todos faziam de tudo. Minha tia, Dona Theresa, como era chamada, me acolheu, me incentivou e me ensinou muita coisa. Coisas que não se aprendem na faculdade”, lembra. Nessa época, teve a chance de passar por todas as áreas da empresa: produção, compras, comercial, financeiro, marketing (sua área preferida), entre outras. Após alguns anos, já assumia a responsabilidade de dirigir a empresa e começou a levar novas pessoas para ajudar.

A equipe, ainda pequena, começava a ficar mais forte e cada pessoa que chegava os ajudava a construir a marca.Muita coisa aconteceu nestes anos todos. Thiago conta que acertaram e erraram, mas sempre aprenderam muito. Em 2008, tiveram a coragem de começar um processo de implantação de governança corporativa. A empresa saiu do conceito de empresa familiar e passou a trabalhar como um grupo empresarial de controle familiar. Isso mudou tudo e foi decisivo para que a Sanavita pudesse crescer. “Hoje temos a visão clara da separação entre família e empresa. Acionista é acionista (não mais ‘dono’), herdeiro é herdeiro, e executivo é executivo (seja da família ou não). Temos conselho de família, conselho consultivo (com dois conselheiros externos), plano de cargos e salários, e todas as práticas recomendadas para uma gestão profissional,” diz. As pessoas perguntam como está há mais de 20 anos na mesma empresa. A sua resposta? “Nestes últimos 20 anos trabalhei em 20 ‘Sanavitas’ diferentes, pois esta companhia se transformou a cada ano em uma nova empresa, com novos desafios, novos mercados. Eu também tive que evoluir em todos estes anos. Aprendi sempre com todas as pessoas que passaram por aqui, fiz inúmeros cursos, participei de muitos eventos e tenho a plena consciência que preciso evoluir muito mais para o que vem pela frente.”

Segundo Thiago, uma marca nada mais é do que a consequência das atitudes e comportamentos das pessoas que estão por trás dela. Simples assim! Para ele, quando você é alçado a uma posição de liderança – seja ela qual for – você assume uma enorme responsabilidade e inúmeros desafios (especialmente aqui no Brasil). Se ele tivesse que elencar um grande desafio do verdadeiro líder, arriscaria o seguinte: “Formar e manter uma equipe forte, alinhada com os valores e a causa/propósito da empresa. Alinhar as expectativas das pessoas de forma verdadeira e transparente. Entender que ninguém trabalha para você e nem para maximizar os lucros dos acionistas. As pessoas trabalham para buscar seus próprios sonhos, para se desenvolver/crescer, para fazer parte de algo em que acreditam.” Existem dois tipos de empresa: as empresas dos números e as empresas das pessoas. Thiago fica com a segunda. “Os números são e sempre serão consequência da atitude das pessoas.”

No mundo em que vivemos, na velocidade que as coisas acontecem, basta não fazer nada para retroceder. Justamente por essa razão, o executivo procura sempre “sair da caixa”. O dia a dia nos consome muito e a maioria dos líderes cai na armadilha do operacional, ficando assim sem tempo para pensar. “Estou sempre participando de eventos, cursos, congressos, palestras. Sempre que posso acompanho minha equipe comercial no campo, pois este é um lugar que nos ensina muito. Além da minha função na Sanavita, também sou Conselheiro da AMCHAM – Campinas e acabo trocando muitas informações e atualizações com outros executivos. Procuro seguir fontes de informação que julgo importantes através das mídias sociais e sempre me mantenho atento às novidades”, conta.

Crise? Momentos difíceis? Thiago vê apenas uma atitude a ser tomada: ser transparente, verdadeiro, e realista. Contar claramente para a equipe sobre a situação, sobre o momento e sobre o que vão enfrentar. Convocar todas as pessoas da empresa e pedir a ajuda de todos. Não existe um messias que vai chegar na empresa e salvar todo mundo. As soluções são encontradas pelas pessoas que lá estão. Se todos colocarem esforços para pensar, se todos fizerem um pouco mais, se todos estiverem cada vez mais juntos… as coisas acontecem e a empresa sai da situação difícil mais fortalecida. “Acredito que a função de líder tem a ver com servir, com ajudar as pessoas a atingir seus objetivos. Alguns valores que acredito são: simplicidade, transparência, respeito, humildade, cooperação. Não vejo um líder sendo reconhecido como líder nos dias de hoje sem estes valores. “Sobre motivação de equipe, ele é taxativo: “Ninguém consegue motivar ninguém.

A motivação é algo que vem de dentro, as pessoas devem ter um motivo para a ação.Só a própria pessoa pode se motivar. O que tento fazer – e espero isso de todos os líderes da Sanavita – é estimular as pessoas para que elas se motivem.É importante entender que as pessoas reagem a estímulos de formas diferentes; esse é um grande desafio do líder, observar e entender as pessoas e o que pode motivá-las”, explica.

Para novos líderes, sejam eles gerentes, supervisores, gestores, ou qualquer pessoa em posição de liderança, Thiago indica leituras pontuais: “Líderes – Estratégias para Assumir a Verdadeira Liderança”, de Warren Bennis e Burt Nanus; e “‘Capitalismo Consciente – como libertar o espíritoheroico dos negócios”, de John Mackey e Raj Sisodia. Ainda indica o PDL – Programa de Desenvolvimento da Liderança, de Fatima Motta. “Admiro demais o trabalho e os conceitos que ela segue. Muito do que acredito e sigo como líder foi inspirado nas muitas conversas que tive com esta mulher. Recomendo demais este programa. É fabuloso”, diz. O empresário acredita que para novas empresas alcançarem o sucesso, elas devem entender que negócios não têm a ver com fazer o máximo de dinheiro possível.

“Negócios têm a ver com a criação de valor para todas as partes envolvidas. Não dá mais para pensar no seu próprio umbigo, como as empresas sempre fizeram. Para ter sucesso, as empresas têm que gerar valor para as pessoas que trabalham para elas, para seus clientes, para seus consumidores, para seus fornecedores, para a sociedade, para o meio ambiente, e também para os acionistas”, fala.

Fora da empresa, Thiago é um homem simples, que gosta de coisas simples. “Penso no futuro, mas prefiro viver o agora.

Gosto de ser feliz e ver as pessoas felizes, e procuro fazer tudo com paixão.”

Compartilhar:

Posts Recomendados

Deixe um Comentário